EDITORIALMANCHETESPARAÍBAVÍDEOS

Mãe faz apelo para conseguir cadeira de rodas para filho deficiente ir à escola; Secretaria de saúde nega ajuda

Francilda Cristovam, que é moradora da cidade de Cajazeiras-PB, fez um apelo a sociedade e políticos competentes do município, que pudessem ajudá-la a conseguir uma cadeira de rodas para seu filho, Francinaldo Luciano, que é deficiente, e necessita dessa cadeira para se deslocar até a escola. O adolescente tem 17 anos.

“Eu quero pedir uma cadeira de rodas pra meu filho se deslocar de minha casa pra o colégio, porque eu não tenho condição de levar ele pra escola no braço”, destaca em entrevista.

Francilda revelou que chegou a procurar o secretário de Saúde do município, Cristóvão Pinheiro, por várias vezes, e ele pediu que ela aguardasse, que entraria em contato brevemente. Mas já passa praticamente de um mês e nada foi resolvido.

“O negócio do secretário é ‘tá’ me pedindo número de telefone. Eu cheguei até a perguntar lá ao menino que trabalha com ele se ele ia fazer coleção de número de telefone. Porque meu menino precisava era de uma cadeira pra se deslocar pra escola”, diz com indignação.

Não recebendo um retorno da Secretaria, ela resolveu fazer um apelo à sociedade para tentar conseguir a cadeira: “Nem que seja uma cadeira usada, mas que sirva pra ele ir pra escola.”

Francilda também fala de uma ressonância magnética de Francinaldo, que ela ‘corre’ há 14 anos para tentar realizar. Ela afirma não saber a real deficiência do seu filho. O problema dele se avança e ela não recebe nenhum resultado .

Francilda diz que o exame passou muito tempo de ‘molho’ na Secretaria de Saúde, e que falou diversas vezes com a secretária que atuava naquele momento, Dra. Paula Francinete. Ela alega que a Doutora deu várias autorizações para que ela viajasse até João Pessoa para realizar o exame, mas ela não chegou a viajar. O que a Secretaria relatou à Francilda, depois de muitas idas e vindas, foi que eles estavam devendo à clínica que faria a ressonância, devido uma pessoa que teria feito um exame e eles não sabiam onde essa pessoa residia.

“Ele tinha que resolver esse problema lá pra poder fazer. E eu tô esperando até hoje. E o problema dele é se avançando e nem resultado de cadeira nem de exame”, finaliza.

Contato da família: 99411-7824

SERTÃO DA PARAÍBA

Você pode enviar informações à redação do portal tvsertaodaparaiba.com.br pelo WhatsApp: (83) 99384-3824.

Mostre mais

Artigos relacionados

Fechar
Pular para a barra de ferramentas