EDITORIALESPORTE

Com confusão no VAR, Cruzeiro perde para Boca na Argentina

Foi com uma grande polêmica que o Boca Juniors venceu o Cruzeiro, por 2 a 0, na noite desta quarta-feira, na Argentina, em duelo válido pela Copa Libertadores. A partida de volta será no dia 4 de outubro, no Mineirão.

Chamou a atenção a utilização do árbitro de vídeo feita pelo árbitro da noite. Em um lance normal, o zagueiro Dedé trombou com o goleiro Andrada. Ninguém do Boca reclamou, o defensor cruzeirense percebeu a situação e rapidamente pediu atenção para que os médicos entrassem em campo. O juiz após alguns minutos decidiu ver o lance novamente e expulsou o defensor cruzeirense.

De todo o resto do jogo, o confronto válido pela ida das quartas de final da Libertadores, teve um Cruzeiro em alguns momentos apático, com pouca força ofensiva e tentando se aplicar taticamente. Já o Boca Juniors fez valer sua força dentro de seu estádio e garantiu o resultado.

O técnico Mano Menezes não queria apenas aguardar o ataque adversário. Pelo contrário, a ideia era ficar com a bola, deixar o clube argentino jogar pouco.

Logo no primeiro minuto, o time celeste conseguiu chegar com perigo. Em tabela entre Barcos e Egídio, o cruzamento foi tirado para escanteio. Na cobrança, Thiago Neves consegue o desvio e a bola leva muito perigo.

Esse lance inicial mostrou o que o Cruzeiro ia querer na partida. O Boca também quis controlar o jogo. E teve uma participação mais acanhada do que o normal. É comum ver o Boca dominar as partidas nos primeiros 20 minutos, mas isso não aconteceu.

O Cruzeiro conseguia jogar bem sem a bola. O Boca tinha dificuldades no meio de campo, sobretudo, na armação de jogadas.

Aos poucos os argentinos foram encontrando seu jogo. Aos 20 minutos, o Boca conseguiu criar duas boas oportunidades, uma que Dedé salvou e na outra o chute de fora da área tirou tinta da trave.

Quando o duelo alcançou os 25 minutos, era perceptível que o Cruzeiro tentava manter o confronto no mesmo ritmo que começou, mas cauteloso e lento – algo que agradava melhor o grupo de Mano Menezes. O Boca, porém, pressionava mais, esquentou o jogo.

A pressão que o Boca passou a fazer após os 20 minutos deu resultado aos 35. Após ótima tabela de Zárate e Perez, a bola sobrou na frente para o atacante que chutou na saída do goleiro Fábio para abrir o placar.

Ao término da etapa inicial, ficou claro que duas peças do Cruzeiro precisavam funcionar melhor: tanto Rafinha quanto Barcos foram nulos em campo, não contribuíram tanto quanto podiam.

Segundo tempo

O Cruzeiro voltou com muito volume na etapa complementar. Logo nos dois primeiros minutos, a Raposa contou com duas chances claras para empatar. Em uma delas, o time celeste viu o volante Barrios tirar em cima da linha.

Depois de duas boas chegadas, com quase gol do Cruzeiro, o Boca voltou a crescer no jogo. A equipe da casa controlou a partida novamente e tirava espaços.

O técnico Mano Menezes precisou tirar o armador Thiago Neves da partida, por causa de um desgaste muscular. Rafael Sóbis foi para a partida. Assim, Robinho assumiu a função centralizada de armar o grupo celeste.

Atlético PR – O Atlético-PR deu um grande passo nas oitavas de final da Sul-Americana. O “El Paranaense” venceu o Caracas, por 2 a 0, na noite desta quarta-feira, na reabertura do Estádio Olímpico de la UCV, na Venezuela. Raphael Veiga brilhou e marcou os dois gols, dando a importante vantagem para a equipe rubro-negra na competição continental.

O Atlético-PR dominou o primeiro tempo, mas não conseguiu transformar as ações em gols. Com mais posse de bola, a equipe atleticana insistiu nas jogadas pelas pontas, mas a bola pouco chegou em Pablo, enquanto o Caracas tentou chegar através de escanteios. A melhor chance do Furacão veio aos 28 minutos, quando Jonathan cruzou na área e Pablo cabeceou por cima do gol. A resposta dos mandantes veio logo depois com Añor, que soltou a bomba, perto da trave. No final do primeiro tempo, o Atlético-PR abriu o placar com Raphael Veiga. Jonathan cruzou, Pablo tocou de peito e a bola sobrou para o meia soltar uma bomba, sem chance para o goleiro Herrera.

O Furacão seguiu administrando a partida e quase ampliou aos 11 minutos, quando Raphael Veiga recebeu a bola de fora da área e soltou uma bomba, que passou rente ao travessão. Aos 18, Tiago Nunes fez a primeira mudança, colocando Marcelo no lugar de Nikão. Aos 27, Veiga brilhou mais uma vez. Marcelo ganhou de Muriel na corrida pela direita e tocou para Pablo finalizar. Herrera fez a defesa parcial, e Veiga aproveitou o rebote para mandar para o fundo das redes de cabeça, marcando o segundo dele na partida. O Atlético-PR ainda perdeu a chance de golear o Caracas, após chutes de Pablo, no final da partida.

Gostou? Você também pode enviar informações à redação do portal tvsertaodaparaiba.com.br pelo Whatsapp 83 98886 4599 ou 99166-4140.

Gazetaesportiva com globoesportes.com

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar
Pular para a barra de ferramentas