19/03/2017 às 08h36min - Atualizada em 19/03/2017 às 08h36min

O Sertão da PB deverá ter água da transposição até dezembro deste ano, diz ministério

o órgão informou que as obras do Eixo Norte, que vão beneficiar a população sertaneja, estão 94,52% concluídas.

Divulgação / Ministério da Integração Nacional
Wellington Valêncio - TV Sertão da Paraíba / Portal Correio

FOTO - Divulgação / Ministério da Integração NacionalAs águas do São Francisco devem chegar ao Rio Piranhas, no Sertão paraibano, até dezembro deste ano, conforme previsão do Ministério da Integração Nacional. Em nota, o órgão informou que as obras do Eixo Norte, que vão beneficiar a população sertaneja, estão 94,52% concluídas.

Conforme o Projeto de Integração do Rio São Francisco, na Paraíba as águas vão passar pelos municípios de Monte Horebe, São José de Piranhas, Cachoeira dos Índios, Cajazeiras, Bom Jesus, Santa Helena, Triunfo, Poço de José de Moura e Uiraúna.

No Eixo Norte, a captação do rio acontece em Cabrobó, em Pernambuco, e a estrutura física passa por outros 11 municípios dos estados de Pernambuco, Ceará e Paraíba. A partir da chegada ao Rio Piranhas, as águas seguirão naturalmente até o reservatório Armando Ribeiro Gonçalves, no Rio Grande do Norte.

Simultaneamente às obras que levarão as águas do ‘Velho Chico’ às casas do Sertão paraibano, acontecem obras estruturantes da Vertente Litorânea. “Desde agosto do ano passado, o Ministério da Integração Nacional ampliou em 65,8% os repasses federais para a Vertente Litorânea. Com mais de 130 quilômetros de extensão, o empreendimento vai garantir o abastecimento de água a mais de 631 mil pessoas. O repasse total da União será de R$ 955,78 milhões e a contrapartida do governo estadual é de R$ 117,7 milhões”, informou o órgão.

Ainda conforme a Integração Nacional, 294 comunidades rurais que residem às margens dos canais e reservatórios do Projeto São Francisco na Paraíba, Pernambuco e Ceará serão beneficiadas com projetos executivos para construção de sistemas de distribuição de água.

Essas obras complementares são de responsabilidade dos governos dos Estados. De acordo com a Integração Nacional, o investimento total do governo federal é de R$ 285 milhões, sendo que R$ 35,7 milhões foram destinados à Paraíba e ficaram sob gestão da Secretaria de Estado de Infraestrutura, Recursos Hídricos, Meio Ambiente e da Ciência e Tecnologia (SEIRHMACT). A estimativa é de que 12,2 mil habitantes de 32 comunidades rurais sejam contemplados na Paraíba.

Em publicação oficial na internet, o Ministério da Integração explica que o Consórcio Emsa – Siton foi habilitado para execução das obras remanescentes da primeira etapa do Eixo Norte. Porém, o consórcio foi o terceiro colocado no processo de licitação e outras cinco empresas concorrentes demonstraram interesse em recorrer da decisão. Elas terão até a próxima semana para apresentar as razões do recurso. Em seguida, as empresas mencionadas na argumentação das concorrentes terão cinco dias úteis para as contrarrazões. Após essas duas etapas, a Comissão Permanente de Licitação terá até cinco dias úteis para publicar o resultado da decisão.

“O Consórcio Emsa – Siton foi o terceiro classificado, no dia 1º de fevereiro, por oferecer o lance de 9,8000% de desconto durante abertura das propostas. Após análise técnica, a comissão inabilitou as duas primeiras colocadas, a Passarelli Ltda. e a Marquise S.A”, justifica o Ministério da Integração.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »