17/03/2017 às 15h57min - Atualizada em 17/03/2017 às 15h57min

FGTS: veja 4 problemas constantes no saque das contas inativas

Cerca de 2 milhões de pessoas já sacaram mais de R$ 3,2 bilhões de contas inativas

NOTÍCIAS AO MINUTO
Emily Pereira - TV Sertão da Paraíba

O governo federal liberou os primeiros saques de contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), no dia 10 de março, deixando muitas agências da Caixa Econômica Federal lotadas.

De acordo com a Previdência, cerca de 2 milhões de pessoas sacaram mais de R$ 3,2 bilhões de contas inativas. Contudo, muita gente ainda não conseguiu pôr a mão nesse dinheiro devido a alguns problemas.

Por isso, separamos quatro problemas que podem surgir ao sacar o FGTS inativo. Lembre-se: o saque das contas inativas vai até 31 de julho de 2017.

Falha na baixa no sistema

É muito comum que as empresas não deem baixa no sistema após o desligamento de um funcionário. Por exemplo, o funcionário é demitido, recebe os direitos dele, mas não dá baixa no contrato no sistema do fundo de garantia.

Nesses casos, a conta no FGTS aparece como ativa, mesmo que ela não tenha sido atualizada depois de dezembro de 2015 – data limite estipulada pelo governo das contas inativas, para que os trabalhadores possam fazer o saque.

Para resolver, o trabalhador precisa ir a uma agência da Caixa com a carteira de trabalho, de preferência com as cópias de todas as páginas onde há assinaturas de empresas. É recomendado, também, levar o termo de rescisão do contrato, para que o operador verifique o motivo de saída da empresa.

Após a comprovação dos dados, o valor é liberado para saque em até 5 dias úteis.

Falência da empresa

Em alguns casos, algumas empresas falidas ainda aparecem como conta ativa – principalmente se a falência foi recente.

Para resolver, o trabalhador precisa ir a uma agência Caixa com documentos que comprovem que não há mais nenhum tipo de vínculo com essa empresa, ou que comprove a falência.

Se a conta realmente estiver inativa antes do prazo determinado (final de 2015), o dinheiro é liberado para saque em até 5 dias úteis.

Empresa não fez depósito do FGTS

Cerca de 7 milhões de trabalhadores não receberam o depósito do FGTS pelas empresas da maneira correta, segundo a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional.

Se este for o seu caso, o Ministério do Trabalho orienta seguir uma das opções a seguir:

Entrar em contato com o Ministério Público do Trabalho
Fazer uma denúncia ao sindicato da sua categoria
Se dirigir até a Superintendência Regional do Trabalho e fazer uma denúncia contra a empresa
Contratar um advogado e entrar com uma ação na Justiça
Lembrando que o funcionário tem até dois anos após o fim do contrato com a empresa para entrar com uma dessas ações, incluindo o FGTS não depositado.

Se o período tiver expirado, o trabalhador também pode recorrer a uma denúncia no Ministério do Trabalho, que vai dar início a uma fiscalização.

Divergência de dados

No momento do cadastro, é possível que algumas empresas tenham informado um dado errado do trabalhador – pode ser o nome, CPF, nome da mãe etc.

Nesses casos, é recomendado levar a carteira de trabalho com as cópias das folhas em que há registro das empresas e documento com foto para que a Caixa faça a regularização dos dados e, no prazo de 5 dias úteis, libere o pagamento.

Link
Tags »
FGTS 4 problemas constantes saque contas inativas
Notícias Relacionadas »
Comentários »