17/03/2017 às 10h48min - Atualizada em 17/03/2017 às 10h48min

Mãe de Eliza critica Bruno: 'dando risada da cara da sociedade'

Ela relata que teme pela segurança da família, principalmente por causa do neto, o Bruninho

NOTÍCIAS AO MINUTO
Emily Pereira - TV Sertão da Paraíba

Sônia de Fátima Moura, de 51 anos, mãe de Eliza Samudio, está indignada com a liberdade do goleiro Bruno, que foi solto, após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), sob a alegação de que não havia "justa causa" para que ele permanecesse preso enquanto estivesse em julgamento o recurso em segunda instância.

Em entrevista ao Extra, ela relata que teme pela segurança da família, principalmente por causa do neto, o Bruninho.

Bruno foi condenado por júri popular em 2013 a mais de 22 anos de prisão por homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver e cárcere privado no caso Eliza Samudio.

"Os valores destas pessoas são invertidos. Só pode ser isso. Não é possível, tem limite", disse a mãe da vítima criticando o Boa Esporte, clube que contratou o goleiro.

Questionada se já esperava uma eventual soltura do goleiro Bruno, Sônia respondeu que a fama pode ter influenciado a decisão.

"Acho que o fato dele ser famoso pode ter influenciado sim, mas vejo mais como resultado de uma estratégia da defesa, que entrou com recurso e tem atrasado o processo na segunda instância com manobras dentro da lei".

Na entrevista, Sônia diz que tem medo do goleiro e critica a postura do jogador.

"Lógico que tenho medo. Não era para ter? Lá atrás, a minha filha com uma criança no colo, não tinha nem quatro meses, foi pega, morta, teve o corpo sumido, esquartejado e dado aos cães e acontece o que acontece... ele andando livre, leve e solto, dando risada da cara da sociedade, da cara da Justiça, com a maior cara de cínico e ainda tirando sarro. Claro que tenho medo. Ele dá entrevista com a maior cara lavada, sem o menor respeito pela vida humana. Ele é sarcástico", conclui.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você votaria no deputado ou senador que disser SIM a Pec da Previdência?

31.5%
40.3%
6.2%
22.0%